AS 06 PIORES CAPITAIS BRASILEIRAS PARA SE RESPIRAR

A poluição urbana é proporcional ao tamanho das cidades e seu grau de urbanização. Nossa lista incluí apenas capiais, e adivinhem? Porto Alegre, a mais próxima da SJC, está entre elas.

O aumento da concentração de poluentes na atmosfera tem impacto direto na população, tornando o combate à suas emissões, um caso de saúde e ambiental, claro.

O estudo realizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), mostra quantas partículas encontramos em metro cúbico de ar, sendo que o limite máximo tolerado é de 10 microgramas de partículas por metro cúbico de ar. Acompanhe a lista.

6º lugar – Recife:
Com 11,1 microgramas por metro cúbico de ar, a capital de Pernambuco é a mais próxima do limite aceitável. Mesmo assim, a cidade que oferece muitas opções de turismo e lazer, precisa cuidar melhor do ar que se respira nela.

5º lugar – Porto Alegre:
Saindo do Nordeste e vindo para aqui no extremo sul do nosso país. A capital de todos os gaúchos, se encontra na quinta posição, com 16,3 microgramas por metro cúbico. Mesmo estando entre as capitais mais arborizadas do país, Porto Alegre sofre com o intenso tráfego de veículos.

4º lugar – Curitiba:
A capital do Paraná, mostra que mesmo com um bom planejamento a qualidade do ar pode acabar ficando de lado. Ela, assim como todas as cidades citadas na lista, apresenta medidas para diminuir o índice, que hoje está nos 16,5 microgramas por metro cúbico de ar.

3º lugar – Belo Horizonte:
O horizonte pode ser belo, porém na capital de Minas Gerais o ar está feio e pesado. A cidade mineira apresenta 16,6 microgramas por metro cúbico de ar. Como nas capitais até aqui apresentadas, a maior parte de suas emissões surge da queima de combustíveis em automóveis e geradores.

2º lugar – Rio de Janeiro:
A cidade maravilhosa mostra que não tem apenas belezas mil. A capital impressiona por seus 19 microgramas por metro cúbico de ar, quase duas vezes o limite tolerável. Vale salientar que seu clima litorâneo, em tese, deveria amenizar esse resultado negativo.

1º lugar – São Paulo:
Sem surpreender ninguém, a capital paulista carrega o título de pior ar para se respirar no Brasil. Com altíssimos 28,1 microgramas, lembre-se que o limite é 10 microgramas por metro cúbico. São Paulo consegue reunir uma considerável zona industrial em suas cidades satélites, extensas faixas de urbanização impermeável e uma das maiores frotas urbanas de veículos terrestres do mundo, tudo isso acaba justificando o péssimo índice segundo a OMS.

Antes de pensar em fugir dos grandes centros urbanos, lembre-se que empresas como SJC química trabalham para que empreendimentos possam produzir mais com melhor qualidade, reduzindo emissões e proporcionando maior bem estar para funcionários e residentes próximos das grandes indústrias. O Controle feito na qualidade dos combustíveis também impacta na redução das emissões criadas por motores à combustão.